Visita da galeria de arte Fundação Louis Vuitton

Fondation Louis Vuitton - Arquivo pessoal

Eu já morava na França há vários anos, quando um dia vi uma imagem aérea na televisão durante a etapa final do Tour de France, a maior volta de ciclismo do país. A imagem mostrava um edifício de estilo futurista, totalmente rodeado de verdura. Que lugar é este ? – pensei comigo. Bela descoberta, se tratava da Fundação Louis Vuitton, um conjunto de galerias de arte moderna e contemporânea instalado desde 2014 em Paris, pertinho de mim!
Vejam esta arquitetura que destoa dos prédios caractéristicos da capital francesa.
Fondation Louis Vuitton - Arquivo pessoal

A Fundação Louis Vuitton

Como o destino faz bem as coisas, pouco tempo depois lá estava eu – com meu bebê de 6 meses – na Fundação Louis Vuitton, participando de uma visita acompanhada, depois de tomar um bom café da manhã no restaurante que fica no térreo, chamado Le Frank – e que estava excepcionalmente aberto apenas para o nosso grupo.
Amor à primeira vista, confesso que fiquei encantada com a estrutura deste edifício, uma obra de arte em si, que abriga e expõe trabalhos de outros artistas. O arquiteto que imaginou tudo isto é o Frank Gehry, conhecido por ser inovador, audacioso e até mesmo poético. Não sou especialista em arquitetura, mas todo mundo conhece pelo menos uma realização do Frank Gehry : o não menos impressionante Museu Guggenheim de Bilbao.

Pixabay - Musée Guggenheim de Bilbao
Pixabay – Musée Guggenheim de Bilbao

Gehry imaginou uma obra que aqui chamam de “atypique”, algo que não entra nos moldes tradicionais. A estrutura de vidro oferece inumeras perspectivas e os volumes parecem desafiar as nuvens. E não é à toa que o edifício que tem ares futurista. A fase de concepção do projeto integrou um software de modelização 3D que normalmente é usado pela industria aeronautica. Talvez daí uma vaga semelhança com uma nave espacial?
A Fundação é composta por nada menos que 3.600 painéis de vidro encurvado, que criam a impressão de velas de barco e de movimento. Tudo isso instalado sobre toneladas de cimento branco, feito à base de pó de mármore.

A nossa visita

Tivemos a chance naquela manhã de ter uma acompanhadora que nos explicou detalhes sobre o edifício e sua estrutura que provavelmente teriam passado despercebidos se visitássemos sozinhos a Fundação.
Entre quadros, esculturas, fotografias, obras sonoras, videos… vimos de perto realizações de Andy Wahrol, Jean Michel Basquiat, Marina Abramovic, Gerhard Richter, Thomas Schutte, Taryn Simon, pra não citar todos.

Visitar uma galeria de arte com um bebê?

Bom, hei de convir que levar um bebê de 6 meses para uma visita acompanhada de 1h30 em uma galeria de arte não é o melhor programa que eu poderia imaginar. Em todo caso, com o meu bebê não foi.

A idéia principal da nossa visita era conhecer melhor a arquitetura da Fundação e vê-las sob outras perspectivas – e não apenas admirar as obras expostas ali. Isto incluía subir e descer escadas, razão pela qual o carrinho de bebê era totalmente inadequado (tivemos que deixá-lo na entrada).
A solução foi usar um “porta-bebê canguru”, mas o conforto do bebê era limitado, assim como seus movimentos, o que acabou em choro. Sem contar que ele ja pesava uns 8 Kg, o que não passou despercebido para as minhas costas, que logo começaram a dar sinais de alerta. E foi assim, entre choro de bebê e dor nas costas, que abandonei meu grupo, recuperei o carrinho e fui aproveitar um pouco do Jardin d’Acclimatation, em um dia ensolarado.

600.000 visitantes em 3 meses para ver a exposição «Icônes de l’Art moderne. La collection Chtchoukine»

Entre outubro de 2016 e janeiro de 2017, uma exposição emblemática atraiu mais de 600.000 pessoas à Fundação Louis Vuitton para prestigiar uma coleção digna dos mais importantes museus do mundo: a coleção Chtchoukine de arte moderna. O sucesso foi tanto que prolongaram a exposição até 05 de março (sim, infelizmente acabou ontem) – ela fazia parte dos eventos ligados ao Ano da Russia na França.
Para quem não sabe, Sergeï Chtchoukine é o nome de um mecenas russo, falecido em 1936, que possuía nada menos que 275 quadros de arte moderna (120 deles fazem parte da exposição), na maior parte feitos por artistas franceses:

  • 54 Picasso,
  • 41 Matisse,
  • 11 Cézanne,
  • 16 Gauguin,
  • 15 Derain,
  • 13 Monet,
  • 5 Degas,
  • 4 Van Gogh,
  • sem contar dezenas de Marquet, Douanier Rousseau, Manet, Renoir, Vuillard, Toulouse-Lautrec ou Pissarro…

Conclusão

Passeio que vale a pena, mesmo com crianças (neste caso basta fazer os percursos possíveis com carrinho). Privilegiem os dias ensolarados, para poder aproveitar também do agradável Jardin de l’Acclimatation que fica ao lado, e cuja entrada já está incluída no preço do bilhete da galeria.

Endereço

Endereço 8 Avenue du Mahatma Gandhi, Bois de Boulogne, 75116 Paris.

A Fundação Louis Vuitton fica no Bois de Boulogne, no Jardin d’Acclimatation. E relativamente facil ir até lá de transporte público.

Como ir

linha 1 do metrô parisiense Metro 1 (linha amarela) : estação Les Sablons. Se dirigir à saída “Fondation Louis Vuitton” indicada no metrô e caminhar cerca de 10 a 15 minutos
RER C Trem de proximidade RER C: estação Porte Maillot a 15 minutos a pé
Ônibus linha 244 Ônibus, linha 244 : funciona apenas aos sábados, domingos e feriados. Consulte a empresa de transporte público RATP (www.ratp.fr)
Navette / shuttle Navette (shuttle) : nos dias e horários de funcionamento da Fundação, uma navette elétrica é colocada à disposição dos visitantes para leva-los da Praça Charles de Gaulle – onde fica o Arco do Triunfo – até a Fundação. 1€ por trajeto, uma navette a cada 10 ou 15 minutos.

Preço das entradas

9€, 4€ tarifa reduzida et 20€ para famílias Entre 06 de março e 25 de abril de 2017, a Fundação estará em período de inter-exposição, durante o qual as principais galerias estarão fechadas. Assim um preço reduzido de bilhetes entrará em vigor, sendo possível visitar:

  • a exposição permanente,
  • o percurso descoberta do projeto arquitetural do edifício,
  • as terraças,
  • o Jardin d’Acclimatation.
22€ Bilhete « coupe-file non daté », que evita pegar filas. Você pode usá-lo quando quiser, já que ele não tem data determinada

Horários

Horarios de funcionamento Segunda, quarta e quinta-feira : das 11h às 20h
Sexta-feira « nocturne » : das 11h às 23h
Sábado e domingo : das 10h às 20h
Fechado às terças-feiras
Durante as férias escolares: todos os dias das 10h às 20h

Horários do restaurante Le Frank

Horarios de funcionamento Todos os dias das 12h às 19h. Jantar apenas com reservação, às quartas e quintas-feiras. “Nocturnes” às sextas-feiras e sábados.

Mais informações

Site oficial da Fundação Louis Vuitton: http://www.fondationlouisvuitton.fr/
Sobre Chtchoukine : http://www.telerama.fr/scenes/icones-de-l-art-moderne-la-collection-chtchoukine,149432.php

Sobre Angélica Galvão 36 artigos
Sou uma brasileira que vive na França há 10 anos e que tem sede de novos conhecimentos e novas experiências, com o intuito de compartilhá-los. Mamãe de dois lindos garotos, companheira, filha, irmã, amiga, engenheira em informática e sistemas de informação (TI), blogger nas horas vagas :-)

Comente pelo Facebook

4 Comentários

  1. Adorei sua postagem. Super organizada com informações de fatos pertinentes ao seu conteúdo. Vai ajudar muitas pessoas, inclusive eu que estou na França e pretendo ver esta exposição também.
    Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*