Viagem de trem : o que fazer no dia D

Painel - partidas. Gare de Montparnasse
Painel - partidas. Gare de Montparnasse

Você já tem seus bilhetes de trem. E agora? O que se deve fazer na estação no dia da viagem? É preciso chegar com que antecedência? De que plataforma sai o trem? É preciso validar o bilhete em algum lugar? Como se passa dentro do trem, há algum controle? Este é o assunto do nosso artigo de hoje.

 A validação do bilhete

Validação - compostage bilhetes
Validação – compostage bilhetes

Se você comprou uma passagem de trem tradicional, impressa em papel espesso e retangular (vendidas nas máquinas, guichets e agências), no dia da viagem você precisará validá-lo em um token na estação de trem.

Os tokens são facilmente reconhecíveis; são estas máquinas amarelas (veja na foto) espalhadas pelas áreas próximas às plataformas. Basta inserir sua passagem e uma informação será impressa contendo o horário em que foi feito este processo.

Esta validação na máquina se chama “compostage”, do verbo “composter” – perfurar, porque antes o bilhete era perfurado para mostrar a validação.

Se o seu bilhete é eletrônico (recebido por exemplo por email), a validação no token não é necessária.

Possível multa se você não validar seu bilhete

Saiba que você pode ser multado se viajar sem validar seu bilhete. Isto é feito para evitar fraudes, porque há pessoas que viajam sem validação e em seguida pedem reembolso afirmando que não puderam fazer o trajeto.

Se por acaso você encontrou alguma dificuldade para fazer a validação e entrou no trem assim mesmo, converse a respeito com algum controlador dentro do vagão para regularizar sua situação.

Controles de passagens dentro do trem

Provavelmente você terá que apresentar seu bilhete a um controlador dentro do trem. A idéia aqui é simplesmente saber quem viaja de maneira regular, com passagem certinha. O controlador não fará um controle de identidade, exceto para os casos em que as passagens são específicas para crianças ou militares, etc.

Não se preocupe, o controlador não quer saber se você está legalmente no país ou não.

Como saber qual é a plataforma de onde vai sair seu trem?

Monitor - partidas e chegadas. Gare de Montparnasse
Monitor – partidas e chegadas. Gare de Montparnasse

No bilhete de trem não há a informação da plataforma de onde ele vai sair. A passagem indica os números de identificação do trem,do vagão e da poltrona. Mas como saber qual é a plataforma?

Chegando na estação, você verá muitas pessoas no hall olhando fixamente para os monitores ou para o grande painel de informações. Isto é porque 20 minutos antes do horário da viagem marcado no bilhete, o número da plataforma será indicado ali. É por isto que a cada nova informação de plataforma você vê o fluxo de pessoas saindo do hall e se dirigindo para as devidas plataformas.

Estes monitores et painéis também servem para indicar se o trem vai partir com atraso.

Há controles do conteúdo das malas?

Segurança - Gare du Nord
Segurança – Gare du Nord

Está se tornando cada vez mais comum ver controles de bagagens nas estações de trem, como foi o caso durante minha viagem para Bruxelas, saindo da Gare du Nord.

Estes controles se devem ao alto nível de segurança no país por causa dos riscos de atentados. A idéia aqui é simplesmente passar as malas e sacos por detectores de metais.

Qual é o limite de horário para chegar na estação de trem no dia da viagem?

Uma das vantagens do trem com relação às viagens aéreas é o fato de não ser necessário chegar na estação 2 horas antes da viagem. Mas tenha algo em mente: as portas dos trens fecham 2 minutos antes do horário da partida.

Como dito acima, a plataforma é indicada 20 minutos antes da partida e é preciso antecipar possíveis controles de bagagens, que geram filas. Então o ideal seria estar no hall da estação pelo menos com 30 a 40 minutos de antecedência para evitar transtornos.

Dentro do trem há zonas definidas

Talvez este parágrafo seja inútil, mas não custa nada insistir: durante a viagem, não se está sozinho no vagão, então há regras básicas a respeitar.

Quando você compra seu bilhete, ele equivale a uma zona pré-definida. Por exemplo, pessoas que viajam em família ou com crianças podem preferir a zona “famille”, onde se tem maior liberdade para conversar (atenção, não estou dizendo que não se pode conversar nas outras zonas) e potencialmente fazer mais barulho.

Há quem prefira viajar na zona “Zen”, onde se pede mais silêncio e onde se vê muita gente dormindo (ou tentando dormir).

De maneira geral, os telefonemas devem ser passados em áreas entre os vagões, que são separadas por portas para evitar que a conversa perturbe os outros passageiros.

Comida dentro do trem?

Não apenas é permitido comer dentro do trem, como é comum viajar em trens (por exemplo TGV) que possuem um vagão bar onde se pode comprar lanches.

Muita gente também leva seus proprios sanduíches para a viagem.

Tomadas e Wifi dentro do trem

Wifi gratuito na Gare de Montparnasse
Wifi gratuito na Gare de Montparnasse

De acordo com a configuração da sua viagem (primeira classe, TGV, Thalys, etc.), sua poltrona poderá ser equipada com tomada para recarregar seu telefone, bateria do computador, etc. Mas mesmo em segunda classe há tomadas em espaços comuns a todos, como entre os vagões.

Vários trens propõem Wifi gratuito durante a viagem, o que é suficiente para enviar e receber mensagens, consultar sites de notícias – mas não espere uma conexão muito rápida.

Boa viagem!

Sobre Angélica Galvão 36 artigos
Sou uma brasileira que vive na França há 10 anos e que tem sede de novos conhecimentos e novas experiências, com o intuito de compartilhá-los. Mamãe de dois lindos garotos, companheira, filha, irmã, amiga, engenheira em informática e sistemas de informação (TI), blogger nas horas vagas :-)

Comente pelo Facebook

2 Comentários

  1. Nossa, muito bom!!!! Excelente texto. Sucinto, mas esclarecedor. Lendo-o lembrei-me quando estive no Rio de Janeiro e fui viajar de metrô pela primeira vez. Putz, que loucura, que confusão. Você olha para um lado, grupos de pessoas andam apressadas, às vezes, até semelhante máquinas automatizadas; olha para outro canto, mais gente! Tudo é novo, tenso… Até mesmo pegar uma informação pode se tornar algo ou uma experiência de “um estranho em outro planeta”. Sério! As pessoas falam apressadas, enrolam a língua, você entende poucas coisas. Ouvi várias vezes uma determinada expressão de atendentes no hotel e pessoas dos mais diferentes tipos na rua, estabelecimentos comerciais, na plataforma do metrô: “Sanjpenha”, só vim a saber o que era dentro do metrô, lugar onde mostra o percurso. Lá estava a tradução: Estação Saens Peña, kkkkkkk. É foda!!! Quando for à França quero estar ao seu lado, o tempo todo! kkkkkk

    Sobre sua postagem, não há exagero em dizer que é relevante para qualquer pessoa! Vai em frente, está cada vez melhor!!! Parabéns!!!

    • Obrigada! Tentei concentrar aqui algumas informações universais pra quem viaja e pode sentir receio por estar em um país desconhecido.
      Sobre a concisão,tentei este exercício após uma leitora dizer que meu artigo precedente era muito longo (sobre como viajar de trem de maneira global: como, onde, quando comprar os bilhetes, etc.). Beijooo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*